quarta-feira, 20 de abril de 2011

Declaração

Disfarcei o sorriso, mas ele estava aqui latente.

Fechei os olhos, mas o brilho ofuscante continuou lá.

Entreguei-me enfim à intensidade do sentimento que pulsa.

Surpreendi-me diante do que me parece ser a verdadeira felicidade.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Meia noite

Chove lá fora e dói aqui dentro.
Sentindo a realidade, finjo que não fantasio.
Fecho os olhos e tento afastar o medo.
Me perco, então.
E perdida, me desespero.
O sono acaba chegando.
Ele não tem mais fugido.
Nasce um novo dia.
Desperto e construo um novo castelo.
Não tenho jeito.

Siga o blog por e-mail