quinta-feira, 30 de julho de 2009

Insistência




"A alegria que me dá, isso vai sem eu dizer"




Idéias que insistem na cabeça e hão de acontecer!




Amontoado de lembranças.




Posts curtos, simplificando o que há do lado de dentro.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Fica a satisfação que vem do âmago de minha alma.
Existem momentos que parecem me fazer sentir completa.


"Combati o bom combate... guardei a fé"

terça-feira, 28 de julho de 2009

E pulsa...

(Foto: Plaza de los Toros - Colonia del Sacramento - por Vanessa H.)
Por que há uma força que revigora, encoraja e se faz escudo.

E segundo os astrólogos:

"Possui grandes sonhos, altas aspirações e força de vontade. Sua determinação, espírito de competição, vitalidade e entusiasmo lhe impulsionam para conseguir tudo o que quer. Seu coração é romântico e nobre, e o amor dramático e colorido - de certa forma, até extravagante."

Há o que impulsiona!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Mentalizando


(Obra: Esferas, Salvador Dali)

O enigma da energia mental.
É isso. Uma aliada.
Quem duvida, é doido!
Concentração.
1
2
3
...
Ai dos que substimam!
Por motivos óbvios: eu sei!

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Alento que acalenta

(Foto de Vanessa H.)
Canta e canta...
A respiração denuncia a tranqüilidade, aparentemente fugás.
E a sombra já não assombra.
Paz, equilíbrio sagaz.
Voraz, ela assim se refaz.
Silencia.
As lutas cessam.
Ela ouve a voz.
E canta...

domingo, 19 de julho de 2009

Intensificando

INTENSIDADE: o resumo de tudo!
(Foto de Vanessa H. - MHVSL)
Pouco entendem!
E o que importa? Talvez também só importe quem entenda!

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Evasão

Só tem graça o que mexe lá no fundo e provoca ebulições.
E só tem graça quem também precisa de uma ebulição para viver.
Tem coisas que quero aprender sozinha, sentir sozinha.
E tem coisas que quero ouvir dos outros, mas não de quaisquer outros.
Às vezes preciso ir só.
Às vezes preciso que me acompanhem, mas sem dó.
Palavras se fazem desnecessárias.
E o segredo está em compreender e sentir-se bem num silêncio compartilhado.
Tempo...
Pensamentos oriundos.
Concordância.

Estou lendo "Uma vida inventada", de Maitê Proença.
Fica a dica.

;9

quarta-feira, 15 de julho de 2009

No controle (!?) do compasso

Mais alguns dias gelados de sensações e confirmações que povoam certas mentes.
Telefonemas e mails vão e vem de forma compassada.
Combinações impulsionam mais e mais.
Essência rítmica, telepatia, loucura pela boa narrativa e tantas outras coisas...
Parte do que Vanessa vive e inventa!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Armazenando

Pouco a pouco de forma irregular, vou tentando com as palavras me expressar.
Busco no risco e rabisco, o grito abafar e simbolizar.
Não me basta pensar, falar e chorar.
As energias recarrego.
Os prantos descrevo, não nego.
A alegria mostro, é instantânea, peculiar.
Os destroços busco juntar.
E a interrogação está sempre presente, a questionar.

Escrevo e cantarolo.
O tempo vai passar...

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Rememorando



Doces lembranças.
Espaço de memória.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Ciclo

Nenhuma resposta satisfaz.
Não há paz.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Frescores

Paranóia.

Arroubos de juventude.

Guardei.

E explicação nenhuma isso requer.

Estou tranqüila.

Incompreensível assim.

domingo, 5 de julho de 2009

O quarto

O quarto que era um universo particular.
Acompanhara tantos surtos de angústia, dor, satisfação.
Ele encobria o individualismo que, por vezes parecia ser peculiar a tal criatura.
Ah: se ele pudesse falar.
Refúgio, testemunha ocular.
Passivo e ativo: sua função era abrigar.
Sem voz, se colocava a vigiar.
Ele guardava e suportava os arroubos de juventude daquela que se punha a pensar com toda a intensidade que é possível imaginar.
Não há mais o que falar.

Cânticos ao longe a ressonar

O convite ao silêncio subentendia-se.
E não era incômodo, fazia-se necessário.
As revelações vinham pouco a pouco.
E a fantástica arte de observar encantava, era inevitável.
As diferenças e circunstâncias exigiam cautela.
Não era possível externar.
E para quê externar?
A subjetividade amedrontava.
Era tempo de férias.
Tempo de pensar.
Tempo de escrever.
Tempo de tempo (para si e para os outros).
Viver, arriscar, aquietar, sentir, desafiar.
Dança do pensamento.
No compasso do vento.
Mera impressão ou verdadeira razão.
Ainda e sempre a questionar!

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Teoria da evolução?

A prova já passou.
A angústia foi junto.
A bebida aportou como comemoração.
A galera se reuniu.
Que zoação.
Arriação, besteiróis e bolinhas de papel.
O dia amanheceu em paz.
E como é bom ser acordada pela manhã com um telefonema agradável.
Motivo: como você está? / Combinado então?
E o sol irradia seu brilho lá fora.

O final de semana?
Promessas.
Bom vinho.
Boa culinária.
Risadas.
Descobertas.
Museologia
Cultura.
Amizade.
Carinho.
Cumplicidade.
Amanhã é sexta-feira.
E eu estou disposta.
Eu sou, eu fui, eu estou, eu vou!

You?

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Dos pensamentos pintados, bordados e cantarolados.

Um tanto assoberbada e transtornada por tudo o que trabalhara e estudara nas últimas semanas.
Ainda um pouco preocupada com a última prova do semestre, nesta noite.
Consciente de que ainda deve estudar quando em casa chegar.
Cansada de responder perguntas, atender telefonas com a tradicional-especifica saudação imposta e de cumprir prazos e metas.
Satisfeita com o lindo dia de frio, sol e céu azul.
Levemente confusa com sonhos intrigantes.
Contente com algumas notícias que aportaram.
Confirmação de algumas suspeitas.
Individualista, impaciente e exigente.
Inquieta.
Mas daqui a pouco, lá pelas 22h se vai boa parte da agonia que lhe cerca.
A paz reinará.
E a sexta-feira chegará.
A expectativa e alegria já se anunciam e estão prestes a chegar.

Vanessa escreve com gana e emoção, pois a final de contas: não pára de sonhar.
Ela vai chegar!

Siga o blog por e-mail