terça-feira, 30 de junho de 2009

Das surpresas que surgem e ressurgem




Não digo que não me surpreendi!

Ah... as surpresas!
Adoro surpresas.

Grata pelos presentes da alma.
Grata pelas compensações.
Grata pelas minhas pessoas.

Estou feliz e isso deve ser registrado.
É isso que realmente importa!

"Una musica dulce se ha tocada solo para mi..."
(Volare - Gipsy Kings)

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Irreal ideal

Saída de emergência.
Válvula de escape.

Há quem viva com elas sempre acionadas.
Onde estão as minhas?

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Cultura agora. Cultura para sempre.

Qüinquagésimo post!
Para marcá-lo, trago alguns elementos que tangem a relação entre os assuntos que mais me encantam: Turismo, Cultura e História.

Aaah o Turismo...
Ele não se esgota em si mesmo, estabelece uma rede de relações, trabalhando com uma interdisciplinaridade, na tentativa de realizar sonhos, suprir expectativas e bem atender.
Trabalha-se assim com sonhos, representações, imaginários, fetiches, sensibilidade, etnicidade, repetições, significados. Fatores diretamente ligados a Cultura e a História.

E isso aflora em mim a sensibilidade, a emoção, a satisfação: como num romance ou num poema, possibilita a re-criação de elementos (como tão bem coloca a autora Maria Bernadete Ramos Flores, em um de seus textos).

E por que não relacionar tudo isso às outras duas áreas que me intrigam e encantam: Literatura e Psicologia. Tudo interligado. Voltamos à questão da interdisciplinaridade!

"É que nesta viagem pela hiper-realidade, as fronteiras entre o real e a ilusão se confundem" (Flores, 1997). Neste blog então... nem se fala!

E eu amo tudo isso. É sobre isso que quero "monografar". É com isso que quero trabalhar.
E lá vem a emoção começando novamente a aflorar!

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Cacos e revés

Foco nos objetivos acadêmicos.

Etapa desafiadora da capacidade de concentração.

Estabelecimento de relações entre o passado e a atualidade.

Projeções para um futuro ainda mais desafiador.

A história continua e promete novidades e aprendizagem.

Opto por deixar para trás alguns cacos de mim e espero que os pacotes que chegarão nos próximos meses, sejam envoltos em fitas de cetim, e imbuídos de satisfação nas cores júbilo e compensação.

Nem sei o que estou fazendo aqui parada.

E está difícil desvencilhar-me de meus poemas tortos e desalinhados.

¡Te lo juro!

Mas para quê?

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Delineando

As águas lhe levam para longe.
Para lugares que até então não conhecia.
Permitem vivenciar sensações e momentos novos.
E a vontade incontrolável e avassaladora de gritar pulsa.
As conversas e confissões ao pé do ouvido do travesseiro lhe fazem bem.
O reflexo no espelho já lhe causa certo estranhamento.
São tantas opções em seu cotidiano.
Como não perder o foco?
E como não focar demais e acabar esquecendo de todo o resto.
Ela aprendeu em suas aulas de Sociologia que o todo é maior que a parte.
Mas às vezes surgem os questionamentos.
Parece uma inversão temática.
E ela já começa a divagar...

Representações. Imaginário.

Mas o que importa?
Será mesmo que importa?
O que é o essencial?
Ah, no fundo ela bem sabe!
Mas o fundo fica lá em seu lugar, no íntimo, e talvez nem o travesseiro não o conheça.
Apesar das instigações, dúvidas e aparentes certezas, sente-se praticamente completa e equilibrada.
Parece que encontrou deveras seu eixo.
Objetivos traçados.
Está correndo atrás.
Medo?
Que medo?
Está vivendo.
E vivendo intensamente, aprendendo a controlar.


segunda-feira, 15 de junho de 2009

Dos marcantes aromas de momentos e seres.

Hoje quero falar sobre os aromas. Como eles são tão marcantes e significativos em minha vida...
Dos meus cinco sentidos, tenho certeza de que o olfato é o mais apurado.
Os objetos, os momentos, as angústias, as alegrias e principalmente as pessoas, têm cheiro.
Acho incrível como a casa de cada pessoa tem um cheiro. E quando ela traz algo de lá, o objeto vem com cheiro, que fica impregnado e carregado de lembranças. E digo isso não apenas como força de expressão, ou num sentido figurativo. Realmente noto isso.
Nada como abraçar uma pessoa querida e ficar com o cheiro dela. E me refiro aqui não somente a cheiro de perfume industrializado, ou sabonete comprado. Refiro-me a cheiro de gente, que é peculiar a cada ser. Incrível como eu tenho meu cheiro, assim como tu tens o teu, que nada nem ninguém no mundo tem igual.
E existem aquelas fragrâncias que, independente de que local ou circunstância que eu estiver, trazem lembranças de angústia. Têm aquelas que rememoram ansiedade, como por exemplo, um perfume que tenho. Sempre que uso ele, lembro-me de dias em que estava me arrumando para algum acontecimento que esperava a tempo, ou que prometia me trazer muitas alegrias.

Medo. Angústia. Ansiedade. Desejo. Afinidade. Alegria. Vida. Pessoas. Amor.
Eles despertam tanta coisa...

E o que me dizes?
Deixe aqui teu aroma!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Rabiscos

Camisas para o frio.

Botas para o lodo.

Vinho para aquecer o corpo.

Máquina para registrar os fatos.

Serra.

Salto para o futuro.

Das verdades inventadas.

Longe da casa do interior.

Metáforas.

Inconseqüências e discrepâncias da juventude veloz.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Tenteando

Coisas impregnadas no código genético: não há como fugir.

Quero uma capa invisível.

Efeitos de final de semestre + outros besteróis.

domingo, 7 de junho de 2009

100 razão

E a lua entra no carro.
O frio é levemente dissipado.
A alegria parece plena.
Mas não é como outrora.
Soa mais sensata agora.
Compreende-se cada hora.
Suportando sem demora.
Irreal, nervoso, precioso, lento.
O grito que aflora.
Belo encontro, vem de dentro.
O convite não se deteriora.
E no ar: absoluto aroma de fina flor.
Graça, luz, precioso amor.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Desatinos de uma quinta qualquer...

"Quiero todo y nada medias"

Talvez esse seja o problema.
Ou será a solução?
Os extremos!
A propósito, o frio é inspirador: oferece sensação legítima de estar vivo.
Ah o arzinho gelado no rosto...

Fase de liberdade.
Fase de iluminação.
Um motivo concreto?
Será mesmo que importa?
Possivelmente seja uma fase de encontros também.
É revelador e animador encontrar-se consigo mesmo!

I DON'T FORGOT!
I BELIEVE!

terça-feira, 2 de junho de 2009

Sol somando

O sol que aquece.

O sol que ilumina.

O sol que envelhece

O sol que termina.

A pura verdade sozinha não é capaz de explicar e expressar tudo.

Assim justificam-se as fantasias e o surrealismo.

Mais um dia especial.

Obrigada. Thanks. Merci. Gracias.


Deixa o sol entrar...

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Metáfora






Tentando voar.

Lutando para libertar.

E o que me importa?

Siga o blog por e-mail