segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Inconstâncias

De repente, cai o nível

E eu me sinto uma imbecil

Repetindo, repetindo, repetindo

["Não vale a pena", na voz de Maria Rita]


Tudo parece estar plácido e feliz.

De repente, um pequeno relâmpago dá conta de transtornar.

São as velhas feridas que ainda não cicatrizaram com a idade.

Apesar das décadas já vividas, de tempos em tempos os desatinos e arroubos juvenis voltam a atormentá-la.

E o mote é ainda o mesmo: amor e intensidade em demasia.

Causa e solução de seus problemas!


10 comentários:

Fernanda, 18 anos. disse...

E não importa o que fazemos, sempre algo nos deixará um ferida que não existe tempo que possa curara por completo.

Luna Sanchez disse...

Toda a oscilação reside aí, exatamente nesse ponto!

=\

Um beijo.

Tatiane Trajano disse...

Esse paradoxo sem o qual não podemos viver!

Gostei daqui, volto.

=*

Déjà Vu disse...

A ferida é a cicatrizao do que queremos para vida!
Belo blog irei seguir aki!
Se puder segue o meu blog la tb!

Cristiana Drumond disse...

gostei bastante daqi , nossa muito liindo esse post , adorei as metaforas que vc usou .
seguindo aqui :*

Brunna disse...

Algumas vezes achamos que tudo está cicatrizado, mas vem o destino e nos traz as causas de tais cicatrizes e então notamos que elas ainda permanecem ali.
Beijo. :)

Por que você faz poema? disse...

Amor e poesia
nunca
são
demais.

Má Midlej disse...

Às vezes só doi porque a gente confunde ''intensidade'' com ''força''. É diferente, né.
Bonita demais essa musica na epigrafe, nunca tinha escutado.^^

;*

Vanessa disse...

É, Caiu Fernando Abreu, já dizia: "Aquilo que nos fere é aquilo que nos cura".
Obrigada pelos comentários! Voltem sempre :)

Daiana Fernandes disse...

Sei bem como é.
Belas palavras!

Postar um comentário

Obrigada por expressar aqui sua opinião e seu sentimento:)

Siga o blog por e-mail