quarta-feira, 17 de junho de 2009

Delineando

As águas lhe levam para longe.
Para lugares que até então não conhecia.
Permitem vivenciar sensações e momentos novos.
E a vontade incontrolável e avassaladora de gritar pulsa.
As conversas e confissões ao pé do ouvido do travesseiro lhe fazem bem.
O reflexo no espelho já lhe causa certo estranhamento.
São tantas opções em seu cotidiano.
Como não perder o foco?
E como não focar demais e acabar esquecendo de todo o resto.
Ela aprendeu em suas aulas de Sociologia que o todo é maior que a parte.
Mas às vezes surgem os questionamentos.
Parece uma inversão temática.
E ela já começa a divagar...

Representações. Imaginário.

Mas o que importa?
Será mesmo que importa?
O que é o essencial?
Ah, no fundo ela bem sabe!
Mas o fundo fica lá em seu lugar, no íntimo, e talvez nem o travesseiro não o conheça.
Apesar das instigações, dúvidas e aparentes certezas, sente-se praticamente completa e equilibrada.
Parece que encontrou deveras seu eixo.
Objetivos traçados.
Está correndo atrás.
Medo?
Que medo?
Está vivendo.
E vivendo intensamente, aprendendo a controlar.


0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada por expressar aqui sua opinião e seu sentimento:)

Siga o blog por e-mail