segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Do amor que liberta.


Aquelas fotos que lhe emocionaram silenciosamente por tanto tempo, foram enfim compartilhadas. Houve então uma confissão: agora não era somente ela que olhava para as fotos e divagava antes de dormir. Nunca sequer havia sonhado em ouvir uma confissão daquelas, vindo de quem vinha. Tudo aquilo era de fato impressionante! A alegria nos semblantes denunciava o preponderante!

2 comentários:

o lado B do lado B disse...

Fotos que emocionam?
Vistas por mais alguem?]
Hã?
Confuso!

Vanessa disse...

Sei lá. Histórias inventadas às vezes só fazem sentido para quem as escreve!

Postar um comentário

Obrigada por expressar aqui sua opinião e seu sentimento:)

Siga o blog por e-mail