sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Confusões psíquicas

Pavor físico.
Desejo abstrato.
Toda aquela paz que ela tinha,
Vira cinza com o orvalho de manhãzinha.
Percebera que é de dentro da sua mente que se passa isso.
O silêncio intriga.
O imensurável valor de algumas coisas que só tem sentido para ela.
O sopro que balança os cabelos.
A sensação de liberdade que faz calar todas as inseguranças.
As impressões que ofuscam sua racionalidade.
As emoções que vem brotando ritmicamente.
E as lágrimas que caem quase que involuntariamente.
A bebida passa dominar aquele corpo.
O bar vira palco para tantas coisas externar.
Ali uns jogam, outros bebem, se beijam, riem e choram.
Ela nem sabe o que faz.
A bebida entra e deixa o mundo ao redor dela girar.
E de repente, num tropeço o pavor retorna.
Já não mais comemora.
Talvez seja hora de parar.

1 comentários:

o lado B do lado B disse...

Talvez seja hora de endoidecer...
Pirar.
O bar é palco, e sempre será...
Não sei se seja hora de parar.
Díficil se saber essa hora.

Postar um comentário

Obrigada por expressar aqui sua opinião e seu sentimento:)

Siga o blog por e-mail