sábado, 3 de outubro de 2009

À meia luz


Campo de batalha sua mente.
A taça de vinho que segurava firme
Permitia que visualizasse seu reflexo
Era distorcido e sem sentido.
Não entendia o que dizia a música que ouvia.
Mas estava em sintonia com alguém que de pronto, sempre lhe extasia.
Pensava em desbravar o mundo.
Aprendia e com a mesma velocidade, se esquecia.
Estava tomada por um desejo que era maior que ela.
Não se conhecia.
Entorpecia-se com vinho.
E merecia o que vivia.

2 comentários:

Blog do Paulinho disse...

Lindo texto, adorei.
Seu Blog é super legal,
espero tb uma visitinha tua ao
meu Blog


http://pc.souza1972.blog.uol.com.br/

o lado B do lado B disse...

Ela se entorpecia, e vivia, cada dia, uma alegria.
Ria
comia
E o mais importante:
Se divertia.
Amo

Postar um comentário

Obrigada por expressar aqui sua opinião e seu sentimento:)

Siga o blog por e-mail