sábado, 26 de setembro de 2009

Reflexo

Sem justa causa.
Por capricho mesmo.
Sem retilíneos movimentos.
É assim que ela ama os seus amores.
Mas tudo vem de forma tão livre.
E não tem medida.
Ora sente-se derrotada...
Ora sente como se tivesse enfim se descoberto e compreendido.
Fica a chuva fina, a ventania e as trovoadas
Deixa pelo caminho alguns pedaços.
Que expressam sua dor, sua intensidade, seu amor.
Segue sem controle.
Nem ouve mais, tudo são rumores.

2 comentários:

Alonso Zerbinato disse...

Que bom que gostou.
Também me sinto bem quando ando por aqui.
Beijo grande, gaúcha.

o lado B do lado B disse...

É assim que ela ama seus amores...
E eles se sentem sim amados
fortemente amados, constantemente amados
Aquela certeza, não de possessão, e sim de segurança.
Sentimento de barco ao chegar no porto.
Aquele sentimento bom...
Aquela vertigem boa...
Aquele amor que não se sabe de onde vem.
Agente só sente.

Postar um comentário

Obrigada por expressar aqui sua opinião e seu sentimento:)

Siga o blog por e-mail