sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Palavras ao vento

Às vezes parece que não é mais possível separar a realidade da imaginação e do que se encontra na dimensão do desejo.
Há uma busca por explicação e coerência que ocupa muito do tempo.
Os fatos ocorrem e passam e nada parece estar a contento.
Talvez chuva.
Talvez vento.
Cada célula a escrever um soneto.
E os olhos apesar de sinceros insinuam ainda guardar um grande segredo.
O mistério de tudo a volta instiga.
A paixão parece ter sofrido mutação.
Dentro da cabeça há uma pulsação.
Que agita.
Confusão mental.
Que resulta em mais uma crise existencial.

1 comentários:

o lado B do lado B disse...

Tá perfeito!!!!!
Fiquei mega curuioo por teu post, e tu sempre surpreende!!! grande beijo minha alma!

Postar um comentário

Obrigada por expressar aqui sua opinião e seu sentimento:)

Siga o blog por e-mail